domingo, 11 de dezembro de 2011

HAVANA, CUBA [2007]

Havana


Hotel Tryp Habana Libre 

Hotel que alojou Fidel Castro, aquando da sua entrada em Havana, em 6 de Janeiro de 1959 

Alto Relevo exposto no hall do hotel 

Universidade de Havana





Monumento a Julio António Mella
[1903~1929]
(Fundador do Partido Cumunista Cubano)



O típico carro "cubano" 


A omnipresente propaganda

Avenida Salvador Allende

Camilo Cienfuegos e Ernesto Ché Guevara
Os símbolos da revolução cubana estão por toda a cidade. A "Revolución" está entranhada nos cubanos. Uns viveram-na. Outros são injectados desde tenra idade através dos manuais escolares fornecidos pelo regime. A revolução é relembrada, a todos, a todo o momento, para que não haja a tentação de a contestar. Todos a exortam com alegria e orgulho, mas, no entanto, parecem-me tristes.
Tristes pela carência que sofrem, tristes pela mordaça do regime autocrático lhes coloca, tristes ao olhar para um turista e desejarem, em segredo somente, que venha outra revolução, mas que desta vez traga a verdadeira liberdade e democracia.
E mais tristes ficariam ainda se soubessem o que é realmente o embuste da "democracia"...


Por causa destas "super máquinas" (em todos os sentidos), por toda a cidade o cheiro a escape leva-nos ao Portugal dos anos 70, em que os carros ainda não tinham catalisadores e a gasolina era Super (barata) 

Sala Polivalente Rámon Font
(Pavilhão dos Desportos)

Memorial e Museu José Marti



Coco Taxi

Já que é tudo a mesma coisa, fica tudo no mesmo loca!

Praça da Revolução


Ministério do Interior



El Camelo

De um modo geral a cidade apresentava-se em tons de cinzento com laivos de cores vivas. A proximidade do mar e 48 anos após a última demão, sem recursos financeiros e sem propriedade privada, a belíssima cidade de Havana foi-se desvanecendo, excepto a "Habana Vieja", hoje património da UNESCO, que vai recuperando a vivacidade e a alegria que outrora certamente teve.

A "minha" Pizzaria ao lado do hotel

Citações de Fidel Castro que podem ser vistas um pouco por toda a cidade.
Esta estava num pilar da afamada(!) Gelataria Copélia

Habana Vieja

Zona arqueológica

Hotel Santa Isabel ao fundo 

El Templete
Local onde se crê que foi fundada a Villa de San Cristóbal de La Habana

As cores de que a cidade carece, abundam nas pinturas destes autores de rua 

Castillo de los Caballeros, actual Posto Policial

General ANTÓNIO de la Caridad MACEO Y GRAJALES [1845~1896]
Foi o Segundo Chefe Militar do Exército Libertador de Cuba na Guerra dos Dez Anos. Conhecido como "El Titán de Bronce", foi um dos líderes independentistas que mais se destacou na América Latina do século XIX

Castillo de los Tres Reyes del Morro

General MÁXIMO GÓMEZ Báez [1836~1905]
Foi uma das figuras centrais da Guerra dos Dez Anos, que combateu ao lado das forças revolucionárias

Praça da Catedral




Estivesses quietinho...


Restaurante "El Patio"

Patio interior do restaurante


Museu de Arte Colonial

Catedral de la Virgen María de la Concepción Inmaculada de La Habana


Azulejo da "Viúva Lamego"


La Bodeguita del Medio
Restaurante famoso pelos clientes ilustres, pelos mojitos e pelas inúmeras dedicatórias e fotos nas paredes

Ernest Hemingway no canto inferior direito

Cubanos a ver os dias passar
Cena repetida a cada porta, janela ou varanda. Cubanos observando quem passa, talvez espreitando uma oportunidade de abordar um turista para lhe oferecer algo a troco de uns euros, mesmo que seja só a sua simpatia e interesse pelo nosso país (que muitas vezes se resumia ao Luís Figo e a Cristiano Ronaldo).
Quando ela não surge, usam de mil e uma artimanhas para a conseguir.

Uniforme escolar

Cada ano escolar tem a sua cor de uniforme

A nova "Habana Vieja"




Praça de Armas


Feira do Livro

CARLOS MANUEL de CÉSPEDES del Castillo [1819~1874]
Fazendeiro e advogado cubano que libertou os seus escravos e redigiu a Declaração de Independência de Cuba (Grito de Yara). Com esta atitude deu origem à guerra dos 10 anos contra o imperialismo espanhol e ainda hoje é apelidado de "Padre de la Patria".
Imagem: Google Imagens

Hugo Chávez

Museu Nacional de Belas Artes



Hotel Sevilla

Galeria restaurada



Gran Teatro de La Habana




JOSÉ Julián MARTÍ Pérez [1853~1895]
Político, pensador, jornalista, filósofo, poeta, maçom cubano, criador do Partido Revolucionário Cubano (PRC) e organizador da Guerra de 1895 ou Guerra Necessária. O seu pensamento transcendeu as fronteiras de Cuba para adquirir um carácter universal. Em Cuba também é conhecido como "El apóstol".


Capitólio



Crianças tendo uma aula de educação física junto do Capitólio

Fábrica de charutos "Partagás"

Esta bicicleta adaptada é um dos populares meios de transporte da cidade

O motociclo mais económico do mundo, zero litros aos cem!

A degradação
Se imaginam este local com esgotos a céu aberto e um cheiro desagradável onde a sujidade nos rodeia, imaginam bem. Infelizmente é este cheiro, juntamente com os gases dos escapes dos automóveis, que paira por grande parte da cidade.

Apesar da pobreza material, não vi fome nem magreza, assim como, também não vi ninguém mendigar pelas ruas. Ofereciam um sorriso, dois dedos de conversa ou um guia para mostrar Havana, tudo isto em troca de alguns euros.


Sem consolas ou longas horas hipnotizantes de desenhos animados sem sentido na TV, as brincadeiras partem do convívio com os outro meninos e do engenho de criar os próprios brinquedos. 
Neste caso, viva La Revolución!


Entrada do Bairro Chinês
Há algum sitio onde eles não estejam? Qualquer dia... na China!!

O aspirante a "El Comandante Jefe" a jantar no "El Patio"

Eu e o... coiso. Não me lembrei de ler a placa ao fundo!

Malécon


Novamente o "Castillo de los Tres Reyes del Morro" visto do Malécon

Hotel Nacional

Monumento às vítimas do USS Maine

A inesperada explosão do Maine foi um dos factos que levou à eclosão da guerra hispano/norte-americana de 1898. A 15 de Fevereiro, durante um período de tensão entre os dois países, o couraçado explodiu no porto de Havana, tendo o governo dos EUA alegado de que se tratava de uma manobra de sabotagem da Espanha.


El monte de las banderas

Coincidentemente em frente do "U.S. Interest Section in Havana"

"El Monte de las Banderas

El que a la estrella sin temor se ciñe, como que crea, crece.

Sirva este monte de banderas como respuesta del pueblo de cuba a la torpe soberbia del gobierno de los estados unidos, 138 banderas cubanas ondearan dignas frente a los ojos del imperio para recordarle desde hoy cada uno de los años de lucha del pueblo cubano, cuando nuestros padres fundadores dieron el grito de independencia en 1868. Como entonces ante la sombra luminosa de este gran monte de banderas, continuamos peleando como hombres y mujeres libres.

24 de Febrero de 2006
Año de la revolución energética em Cuba"

Miramar

Zona "Alta" da cidade



Materialização de "O velho e o mar" de Ernest Hemingway

Pavilhão de Exposições de Havana




A polícia a pedir a identificação aos cubanos, uma cena recorrente pelas rua de Havana

Alguém detido dentro do carro de patrulha e não foi fácil coloca-lo lá!
Acabei por assistir a tudo. Não entendi o porquê e os locais que se encontravam por perto nem sequer esboçaram uma leve contestação.

Havana vista do Hotel Tryp Habana Libre

Baía de Havana

Hotel Nacional

A cidade descolorida e o Capitólio ao fundo

Casa colonial restaurada

Memorial José Martí e edifício do Comité Central do Partido Comunista de Cuba (atrás)

Universidade de Havana

Gelataria Copélia e Miramar no horizonte


Havana, Cuba, Setembro de 2007
Fotografias: Rui Vieira ©